A volta dos que foram

Publicado: 03/11/2013 por Wolfarth em Extra!!! Extra!!!

Buenas, gurizada!

Já se passaram 2 anos e tanto desde que o último post foi escrito no blog.

Muita coisa mudou: teve nêgo que virou pai, teve outro que se mudou de estado e outro que, aparentemente, não mudou. Mas cada um foi deixando de escrever para o blog com a complacência recíproca dos demais acadêmicos.

Entretanto, confesso que bateu uma nostalgia repentina neste domingo e resolvi ler (quase) tudo o que foi publicado e considerei que nossa produção literária foi SENSACIONAL, tendo sido extremamente prolífica no outono de 2007.

Então, pensei: por que isso acabou? Será falta de ideias? Ou é devido ao pouco tempo disponível para escrever?

Enfim, seja o que for, vou tentar manter uma produção regular e, quiçá, estimular os meus amigos a voltar à ativa.

Conto com vocês!

Abraço do Alemão, direto de Floripa.

Drogas, tô fora!!!

Publicado: 31/03/2011 por BigDog em Não há o que não haja!
Tags:, ,

O consumo desenfreado de drogas causa danos irreparáveis no cérebro da pessoa, isso é um fato comprovado. Muita gente boa, no entanto, não se dá conta do mal que está fazendo a si mesma e simplesmente ignora as recomendações médicas e sociais, se enfiando em um mundo em que cada vez se chega mais baixo, até um ponto que praticamente não tem mais volta. Vejam o caso do velho Ozzy, por exemplo:

Ozzy no fundo do poço

Alguém precisa ajudar esse moço, sério!

Catraca Filmes apresenta: A Coisa Tá Preta 2, a história de luta e fé de um povo desesperado. Conheça a história por trás (no bom sentido) da torcida que inovou a forma de contagiar um estádio, criando a Analvalanche. Épico, tocante, triste. Um filme para toda a família. (Verifique a classificação etária, não nos responsabilizamos por cenas de rompimento anal).

Mais informações no site oficial.

E eu achando que DVD sobre a conquista da segunda divisão era o fim da várzea… Agora estão fazendo filme sobre a torcida. No 3, vão entrevistar os ambulantes que vendem comida na entrada do chiqueirão… Que fase, heinhô?

INTER BICAMPEÃO DA AMÉRICA!

Prólogo: depois de quase 5 meses sem escrever um artigo para a ABRIC, olho para trás e vejo que na minha última postagem eu estava deveras preocupado (S.O.S. Colorado), pois o Sr. Fossati certamente não levaria o INTER à lugar nenhum.

Essa pequena introdução apenas dá ensejo ao que vou dizer. O Sport Club Internacional, como clube de futebol, tem surpreendido a todos, inclusive aos seus adeptos mais fanáticos. Mesmo em um ano que parecia ter sido mal planejado, quase modorrento, o Inter foi lá e créu!! (com o perdão do péssimo vernáculo).

Antigamente, nas décadas de 80 e 90, o INTER formava grandes times mas não ganhava muita coisa, quase só Campeonatos Gaúchos, e olha lá! Era sofrido ser Colorado. Dava trabalho ouvir e assistir cada jogo, principalmente nas partidas mais decisivas, quando o time amarelava e entregava o jogo. Os gremistas tinham um prato cheio em termos de corneta e gozação. Enfim, ser Colorado naqueles idos era muito complicado. Nós, adolescentes e jovens, nascidos em meados dos anos 70, precisávamos perseverar muito para não desistir dos nosso sonhos. Enquanto isso, o rival empilhava títulos.

Cachorrão e Crânio hão de lembrar das verdadeiras indiadas que fazíamos para ver os jogos do INTER no Beira-Rio, em uma época de poucas luzes, mas de muitos “Betos Cruzes”, “Zezinhos”, “Zabalas” e “Celsos” (não o Roth). Éramos heróis da resistência em termos de coloradismo.

Mas no alvorecer do novo milênio, algo de bom estava guardado para os vermelhos. O clube passou a sanear suas dívidas, a prezar pela boa administração e por investimentos em categorias de base. E, por incrível que pareça, o co-irmão parou de vencer e a gente inverteu totalmente a lógica que havia até então.

Você, Colorado que tem menos de 20 anos de idade, não entende, mas foi muito difícil se manter fiel ao clube nos anos de escassez. Agora, tudo é fácil. O time ganha até quando poucos acreditam. A grandeza do INTER está aí para todos verem. Ficou fácil, bem mais fácil ser Colorado!

S.O.S. COLORADO

Publicado: 25/03/2010 por Wolfarth em sport club internacional, Tosco Futebol Clube

São José POA 3 x 0 Inter.

Fiasco. Vexame. Fracasso. Ruindade. Podridão. Soberba. Inércia.

Não faltam adjetivos para descrever a “beleza” que foi a atuação do Inter contra o poderoso Zequinha no Passo D’Areia. A direção é omissa e incapaz de tomar uma decisão drástica, no sentido de estancar a sangria desatada que tomou conta do futebol Colorado.

Tudo o que existia de bom foi perdido em questão de 2 meses. A contratação de Fossati foi, indubitavelmente, uma “involução”. Nada se aproveita. Até a questão técnica foi perdida. Ninguém se entende em campo e os atletas não dão aquele “algo a mais” que possui um time vencedor. Infelizmente, cachorrada, o ano está perdido. E isso eu já sabia. Desde o início do ano eu venho alertando a falta de estruturação adequada, de contratações pontuais e de mobilização.

Está dando tudo errado: a mosca do chifre atacou, agarramos a “miudinha” de tal maneira que o ano está comprometido de forma negativa, sendo necessário que a temporada termine logo para recomeçarmos um novo ciclo.

Ganhar a Libertadores é um sonho distante, situado há anos-luz da realidade do Inter. Se chegarmos às oitavas-de-final é lucro. Quem não marca gol não ganha nada. Só o Fossati pensa que dá…

Já no Brasileirão (que vai começar em seguida) uma boa campanha é quase impossível. Melhor esperar por uma colocação entre o 10º e o 16º lugar. Pior que isso, só o rebaixamento. E do jeito que está é perfeitamente possível a gente cair.

Ah… e o Fossati? Algum Colorado quer que ele continue treinando o Inter? Teve nego me mandando torpedo desejando capar o uruguaio…

Inter 2 x 2 Pelotas.

Depois do 4º empate seguido do time Colorado, contra equipes de qualidade duvidosa (Deportivo Quito, Veranópolis, Cerro e agora o Pelotas), a paciência do torcedor começa a se esgotar. O problema todo se deve à maldita vitória que tivemos no Gre-Nal de Erechim, em uma partida que não valia nada, cujo gol foi marcado com alguma dose de sorte.

Jorge Fossati não é o treinador mais adequado para o Inter, haja visto que seus métodos “inovadores” são, na verdade, um empecilho para a naturalidade e fluidez que deveria haver no sistema de jogo utilizado. Os próprios atletas não compreendem tantas mudanças táticas e substituições inesperadas. A direção é covarde, pois não assume o erro pela contratação de alguém que está deturpando as poucas virtudes que restaram da equipe vice-campeã brasileira de 2009. Quem vai derrubar o técnico? A imprensa? A torcida? Acordem, Fernando Carvalho e Vitorio Piffero, antes que o mundo acabe!

Não dá mais. O Gauchão está praticamente perdido. Mandem embora Jorge Fossati antes que o Inter seja eliminado na primeira fase da Libertadores. Tenho dito.

Quando o árbitro Jean Pierre de Lima apitou pênalti para o Novo Hamburgo aos 22 minutos do 2º tempo, momento em que o Inter vencia o jogo por 1 x 0, o pressentimento que tive desde o início do jogo virou certeza: estavam conseguindo tirar o Inter do caminho do Grêmio e eliminá-lo do 1º Turno do Gauchão 2010.

Desde o começo do campeonato, o Inter utiliza reservas e dá pouca importância à competição regional, na intenção de preparar o grupo de jogadores para a Libertadores da América, objetivo principal do 1º semestre. Quando a FGF manteve inalteradas as datas das últimas partidas do Colorado, os dirigentes do Inter resolveram escalar reservas e atletas do time B na semifinal do turno contra o Novo Hamburgo, pois suas reivindicações não foram atendidas.

A FGF, obviamente, sentindo o desprestígio do Gauchão 2010, concluiu que o Inter não merece conquistar o tricampeonato estadual, pois despreza (com razão) o seu torneio. Escalaram um árbitro tendencioso (pra não dizer outra coisa) que marcou uma série de faltas inexistentes contra o Inter durante o jogo, distribuiu cartões amarelos sem qualquer motivo para os atletas colorados e, por fim, apontou pênalti para um lance que TODOS viram que não foi nada. No fim, com mérito, o Nóia marcou seu gol da vitória. Mas tudo começou a mudar com o tal pênalti inventado pelo Sr. Jean Pierre de Lima, a mando de forças ocultas.

Parabéns, chinelagem, vocês conseguiram! Realmente, o Inter venceria esse Gauchão com facilidade, no 1º e no 2º Turno, sem ter finalíssima. A grande mídia gostou, quem manda no jogo também. Imagina! O Inter anda ganhando demais, temos de dar chances para os mais fracos, aqueles que tentam todo ano e não vencem…

Gremistas… comemorem, porque vocês só vão ganhar Gauchão se não houver Gre-Nal!