Parabéns para Glock, porrada para Kovalainen

Publicado: 21/07/2008 por Crânio em Fórmula 1

(inspirado na música Porrada – Titãs)

Grande Prêmio da Alemanha, ano da graça de 2008, 10º etapa do campeonato mundial de fórmula 1; circuito mutilado de Hockenheim. País do chucrute, salsicha e do maior piloto de todos os tempos.

Pela enésima vez afirmo e confirmo que a FIA deveria proibir testes coletivos das equipes de fórmula 1 em autódromos utilizados em etapas do campeonato mundial de F1. Como a FIA não escuta ou lê o que escrevo, o GP alemão corria o risco de transformar-se na mais sonolenta corrida do ano. Uma semana antes as equipes tiveram 3 dias para testarem seus carros. E o resultado da corrida estava a copiar os testes.

A sorte do público foi o infortúnio de Timo Glock. Ao menos o seu infortúnio foi na hora e local exatos para mudarem o panorama da corrida. O acidente da Toyota de Glock, na metade da prova (ou seja, no momento crucial de definição de estratégias de corridas), e na mureta dos boxes, deixando muitos pedaços de seu carro sobre a pista, ocasionou a entrada e permanência do safety-car por 7 voltas, embaralhado totalmente a disputa pela vitória. Parabéns Glock, se é para fazer m…, que faça na hora e local corretos.

O desembaralhar mostrou que existe um piloto combativo na F1 de hoje. Hamilton, caindo para 5º após seu pit-stop, em 10 voltas voltou a liderança, com ultrapassagens na pista. Mas com uma ajuda providencial de seu companheiro de equipe Heiki Kovalainen, que não fez menção alguma de dificultar ou travar disputa com o número 1 da equipe (contratos são contratos, ele é o número 2…). Heiki era o único que dispunha de carro para dificultar o caminho de Hamilton para a vitória. Mas não fez nada mais do que 1 volta à sua frente, permitindo-lhe a passagem de forma assaz cortês. Deixou assim de dar mais emoção à corrida; porrada para Kovalainen!

BMWs com desempenho inferior ao esperado. Luciano Burti comentou que o problema é aerodinâmico (?). Como eles podem ter problemas aerodinâmicos se é o carro com mais dispositivos, chifres, aletas, asas, penduricalhos e traquitanas aerodinâmicas? Toro Rosso com desempenho acima do esperado, graças ao melhor piloto alemão do momento, Sebastian Vettel. Restante na média do esperado. Menos Nelson Angelo Piquet.

Sou critico contumaz de Nelson Angelo. Acho que ele chegou a F1 muito mais por sobrenome e paitrocínio que por méritos próprios. Porém a sorte (e bota sorte nisto) sorriu para ele nesta etapa. Largando em 17º certamente não almejou mais do que chegar ao final da corrida e quiçá marcar um ponto. Mas a suspensão traseira da Toyota de Glock (que ao quebrar sozinha ocasionou o acidente), possibilitou a Nelson Piquet até mesmo liderar a corrida. Aliás, comportou-se de forma muito correta e regular ao andar em 1º e depois em 2º lugar. E chegou a um pódio merecido não só pela sorte (a sorte acompanha os bons), mas pela consistência e regularidade na metade final da prova. Tomara que ele deslanche e silencie minhas criticas.

No frigir dos ovos, o campeonato começa a pender para Lewis Hamilton. A McLaren encontrou o caminho no desenvolvimento do carro enquanto a Ferrari perdeu o caminho. E Hamilton está “sozinho” em sua equipe, enquanto a Ferrari tem o atual campeão e um postulante ao título. Pena que a BMW não está conseguindo alcançar os líderes para aumentar ainda mais a emoção do campeonato. E tomara que a FIA não permita mais testes coletivos. Por que nem sempre terá alguém disposto a dar porrada em muro para aumentar a emoção de uma corrida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s