Vitória 2 x 1 “Derrota”

Publicado: 22/06/2008 por Wolfarth em Tosco Futebol Clube

A 4ª derrota em 4 jogos fora de casa está concedendo ao INTER o posto de pior visitante do Brasileirão 2008, deixando-o próximo da famigerada zona do rebaixamento. Antes do campeonato começar eu havia apontando nosso clube como candidato ao título. Palpite furado!

Talvez a maior responsabilidade por todo esse mau momento vivido pelo time seja da defesa. Se analisarmos bem os nomes disponíveis para o jogo contra o Vitória, nosso setor defensivo foi composto por Bustos, Índio, Orozco e Marcão, o que nos leva a concluir que esse quarteto é todo de segunda linha, tratando-se de jogadores medianos, pobres tecnicamente e com pouquíssima inteligência tática.

Bustos e Orozco são dois colombianos que não pegam nem banco em alguns clubes brasileiros. O próprio Bustos era reserva do co-irmão no ano passado. Foi contratado por ser um exímio cobrador de faltas frontais, mas pelo visto nem no arremesso lateral o gringo é bom.

Orozco é tosco, faz faltas demais, é fraco no jogo aéreo e também pelo chão. Enfim, é ruim de doer. Já deu mostras que faz parte de um grupo de estrangeiros que passaram pelo INTER sem marcar lugar na história. Orozco precisa ir embora logo, sob pena de perdermos muitos outros jogos por erros de posicionamento dele.

Índio já não é mais aquele jogador que foi Campeão da América e do Mundo. Trata-se de um zagueiro meramente coadjuvante, que rende quando tem a parceria de defensor de qualidade técnica apurada, como foi Fabiano Eller.

Já Marcão é um lateral/ala esquerdo esforçado e com o péssimo hábito de dar carrinhos desleais e não saber antecipar a marcação. Talvez seja um apoiador razoável, mas é um defensor de poucos recursos. No time atual, pega banco. Só entra em caso de contusão ou lesão do titular, que, para mim, seria o Ramon.

Observem que o dito acima não é feito de forma imotivada ou por mera perseguição aos aziagos defensores. No jogo de Salvador, o ataque do Vitória realizou uma manobra que foi repetida 3 vezes no 1º tempo: alçou uma bola alta na meia-lua da área do INTER, com um atacante (de porte médio) tendo escorado a bola para o lado, onde entrava um atacante mais rápido. Repetindo: foram 3 ataques em jogadas idênticas. No primeiro, quase houve o gol. Nos dois ataques subseqüentes, dois gols muito parecidos, todos com a falha clamorosa de posicionamento dos senhores Índio, Orozco e Bustos.

E para arrematar essa “draga” desgraçada que abateu o clube, constata-se uma carência de bons nomes no ataque do time, formado exclusivamente por Nilmar e Adriano (ou Gil). E a sensação ruim aumenta quando vejo que os dispensados Iarley e Wellington estão marcando gols por seus respectivos clubes. Iarley fez 2 gols pelo Goiás na vitória por 4 x 0 sobre o Santos em plena Vila Belmiro. Já Wellington, cujos direitos ainda pertencem ao INTER, já marcou 4 gols no Brasileirão jogando pelo Náutico.

Realmente, quando a fase não é boa, até ex-jogador parece ser a melhor opção.

Quanto ao nosso objetivo nesse Campeonato Brasileiro de 2008, a realidade só nos permite almejar uma fuga do rebaixamento. Ou alguém arrisca um outro palpite? Eu cansei de apostas…

Anúncios
comentários
  1. Crânio disse:

    Discordo em relação ao Orozco; não o acho tosco (até rima). Acho que o meio e ataque estão desarticulados, produzindo muito pouco e principalmente marcando muito mal. Aí resta para os pobres infelizes da zaga a tarefa de segurar ataques. Claro que não dá certo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s