Uma justa homenagem

Publicado: 26/01/2007 por BigDog em Ah é, é???, Cultura nunca é demais!

Imagine o cenário: 37º C lá fora, sexta-feira, 18 horas. Apesar do horário, o sol está a pino, com uma intensidade absurdamente maior do que seria esperada. Não há uma única corrente de vento para refrescar. Você está no trabalho, preparando-se para ir para casa e, de repente, se dá conta de que o caminho até o estacionamento, ou até a parada de seu transporte, será simplesmente um suplício. Fosse inverno você nem hesitaria: pegaria suas coisas e iria correndo para casa, tomar um banho, comer uma sopa bem quente e deitar embaixo dos cobertores lendo ou vendo um filme. Mas no verão, a simples lembrança do estupefaciante calor no trajeto desanima e dá uma vontade danada de trabalhar mais um pouco. Mesmo sendo sexta-feira, mesmo já tendo passado o horário. Neste processo, você nem lembra de agradecer a Mr. Willis Carrier, muito provavelmente nem sabe quem foi ele. Pois eu lhe digo: Willis Carrier inventou o ar condicionado. Isto mesmo, este engenheiro esquecido por virtualmente todo mundo é o responsável pela nossa sobrevivência no verão e, em muitos casos, também no inverno, além de diversas outras aplicações, desde a melhoria do processo industrial até a sobrevivência de bebês prematuros.

Prestando uma singela homenagem, transcrevo parte da biografia de Carrier, disponível no site da empresa que ele fundou, a Springer Carrier:

Em 1902, o jovem engenheiro norte-americano Willys Carrier inventou um processo mecânico para condicionar o ar, tornando realidade o controle do clima. Sua invenção viria a ajudar a indústria. Uma empresa de Nova York estava tendo problemas com trabalhos de impressão durante os quentes meses de verão. 0 papel absorvia a umidade do ar e se dilatava. As cores impressas em dias úmidos nãÆo se alinhavam, gerando imagens borradas e obscuras. Carrier acreditava que poderia retirar a umidade da fábrica através do resfriamento do ar. Para isto, desenhou uma màquina que fazia circular o ar por dutos resfriados artificialmente. Este processo, que controlava a temperatura e umidade, foi o primeiro exemplo de condicionamento de ar por um processo mecânico. Porém, foi a indústria têxtil o primeiro grande mercado para o condicionador de ar, que logo passou a ser usado em diversos prédios e instalações de indústrias de papel, produtos farmacêuticos, tabaco e estabelecimentos comerciais. A primeira aplicação residencial foi em uma mansão de Minneapolis, em 1914. Carrier desenhou um equipamento especial para residências, maior e mais simples do que os condicionadores de hoje em dia. No mesmo ano, Carrier instalou o primeiro condicionador de ar hospitalar, no Allegheny General Hospital de Pittsburgh. 0 sistema introduzia umidade extra em um berçario de partos prematuros, ajudando a reduzir a mortalidade causada pela desidratação.

Apesar de não ser um santo, acho que Mr. Carrier deveria ser declarado padroeiro oficial de Porto Alegre, e o dia de seu nascimento, 26 de novembro, declarado feriado oficial.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s